Bem-vindo!

Dada a minha relativamente rica experiência de vida, designadamente no âmbito profissional, foi-me sugerido por alguns colegas e amigos que a transmitisse, por intermédio de um blogue. Assim, aqui lhes irei transmitindo experiências de vida, de cariz profissional mas não só. Experiências desde a minha adolescência. Experiências com amigos e com causas. No fundo experiências de um português que nasceu no pós-guerra, que viveu a Ditadura e a Democracia, e que teve a sorte de ter uma vida compartilhada com tantos amigos...

Agradeço o vosso contacto para curvelogarcia@netcabo.pt



sábado, 10 de dezembro de 2011

Cultura na Ciência

A propósito da definição de especialização em investigação científica, é  bem conhecida a afirmação que os grandes especialistas sabem tudo de nada e os generalistas não sabem nada de tudo! Dizia mesmo Josh Billings: "O mal de muita gente não é a ignorância, mas é saber tanta coisa que não é verdade"
Efetivamente, sempre estive ao lado dos que defendem a importância decisiva duma elevada cultura de todos os profissionais da Investigação Científica. Como já disse em outro artigo, um Investigador culto é melhor Investigador.
Já o nosso grande Almeida Garrett, nos alertava "... onde estão as Universidades, e o que faz essa que há senão dar o seu grauzito de bacharel em leis e em medicina? O que escreve ela, o que discute, que princípios tem, que doutrinas professa, quem sabe ou ouve dela senão algum eco tímido ou acanhado do que noutra parte se faz ou diz?"
Também Lao-Tseu avisava: "Enganar-se no exercício da medicina pode por em perigo uma vida humana, enganar-se na ação política pode por em perigo uma geração, mas enganar-se na ação educativa e cultural pode por em perigo milhares e milhares de gerações..."
Cito alguns exemplos carismáticos, pela positiva, retirados casuisticamente de artigos meus neste blogue: O Professor Catedrático Jorge Calado, autoridade de Química-Física no Instituto Superior Técnico (já aposentado), é certamente um dos maiores críticos de Ópera portugueses... O Professor Catedrático J. Fraústo da Silva, eminência internacional em Química Inorgânica e em Química da Vida (também aposentado, do Instituto Superior Técnico), é uma personalidade bem conhecida no mundo das letras e das artes em Portugal (ex-Presidente e impulsionador de toda a estrutura do Centro Cultural de Belém). O Professor Catedrático Luís da Silva Campos (já falecido), para além de ter sido um dos mais distintos especialistas portugueses em Química Orgânica e Bioquímica no século XX, deixou uma importante obra enquanto escritor, músico e pintor...
Apenas me restringindo a Portugal, poderia ainda enumerar imensos outros exemplos bem demonstrativos do que referi: Francisco Pulido Valente, Mário de Azevedo Gomes, Egas Moniz, Bento de Jusus Caraça, Ruy Luis Gomes, Abel Salazar, Manuel Rodrigues Lapa, ...
Foi assim que, enquanto dirigi a Estação Vitivinícola Nacional, Unidade do Instituto Nacional de Investigação Agrária, vocacionado para a Investigação Científica em Viticultura e Enologia, promovi diversos Colóquios, ultrapassando em muito o setor vitivinícola:

- Em 30 de Abril de 1999, o Colóquio "A Investigação Agrária antes e depois do 25 de Abril" (pelo Professor Pedro Amaro).
- Em 26 de Novembro de 1999, o Colóquio "Cultura Científica", onde proferi a Conferência referida no Artigo nº 2 deste blogue.
- Em 21 de Novembro de 2000, o Colóquio "Relação da Ciência com os Poderes", com os Professores Vaz Portugal, F. Oliveira Baptista, Manuel  Carrondo e A. Pedro Belchior, e onde proferi a Conferência referida no Artigo nº 4 deste blogue.
- Em 25 de Novembro de 2004, o Colóquio "Apoiar e desenvolver a Ciência", que contou com a colaboração da Associação dos Bolseiros de Investigação Científica.
- Em 22 de novembro de 2005, o Colóquio "Um Centro de Investigação não pode envelhecer", com o desenvolvimento de três aspetos fulcrais na afirmação de um Centro de Investigação no seio da sociedade civil (os projetos de I&DE, a publicação de artigos científicos e as comunicações a manifestações científicas e écnicas).
- Em 30 de outubro de 2006, o  Colóquio "Nós portugueses, aqui e agora!, procurando uma reflexão conjunta sobre alguns aspetos da nossa identidade nacional, focando casos aparentemente tão distantes, como o do Vinho português (pelo Investigador Pedro Belchior), o da Arquitetura urbana de Lisboa (pela Arquiteta Graça Ramos), o do Desporto em Portugal (pelo árbitro de futebol profissional Bruno Paixão e pelo treinador de futebol profissional Octávio Machado) e o do Fado (pelo estudioso e propagandista do fado Daniel Gouveia, acompanhado por João Chitas na guitarra portuguesa e por Luís Sarmento na viola).
- Em 26 de novembro de 2008, o Colóquio "Como promover a língua portuguesa... e ainda revolucionar a Economia em Portugal!, coordenado pelo Professor Roberto Moreno (GEO-Comunidade Iberófona), colóquio orientado para a divulgação da importância da língua portuguesa nas diferentes vertentes do desenvolvimento da sociedade.

Termino com uma homenagem do Físico e Poeta António Gedeão ao Físico Galileu Galilei, dois Físicos, dois homens de Cultura, cujas vidas, separadas por alguns séculos, ficaram registadas para bem da Humanidade... Curiosamente (ou talvez não), foram ambos perseguidos pelos poderes do seu tempo...

Sem comentários:

Enviar um comentário